Sudão tem resquícios de planeta perdido

“Os diamantes não podem ter sido resultado de um choque, mas sim de um crescimento que ocorreu no interior de um planeta", explica Philippe Gillet.

Por Redação / Adaptação Web Rachel de Brito

resquícios de planeta perdido sudão

Cientistas da Suíça, França e Alemanha afirmaram que os diamantes encontrados dentro do meteorito Almahata Sitta (na imagem), que caiu no deserto de Núbia, no Sudão, em outubro de 2008, formaram-se em um protoplaneta há pelo menos 4,5 bilhões de anos. Eles chegaram a essa conclusão devido aos minúsculos cristais encontrados no interior das pedras preciosas que, para se formarem, exigiram uma ampla pressão.

“Os diamantes não podem ter sido resultado de um choque, mas sim de um crescimento que ocorreu no interior de um planeta tão grande como Mercúrio ou Marte que, ainda em sua fase embrionária, colidiu com a Terra, momento em que restos lançados ao espaço pelo impacto também formaram a Lua. Portanto, o que temos em mãos são os resquícios dessa primeira geração de planetas que desapareceu, ao ser destruída ou incorporada por outros maiores”, explicou Philippe Gillet, um dos autores do estudo e cientista do Instituto Federal de Tecnologia na cidade de Lausanne, na Suíça.